quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Ultimo post do ano

Hoy galera desculpa por  não postar mais sabe turminha foi até legal fazer esses posts de games zumbis e etc. o blog vai ter algumas mudanças tipo não postarei mais sobre The Walking Dead
Os posts serão feitos por vídeo e o blog vai ter algumas mudanças e só terá postagens apartir do dia 1 de fevereiro de 2014 bom fim de ano galera e até ano que vem e ainda estarei disponível nos meu canai do  laiz e sissi adventure

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Ator que interpreta Glenn em The Walking Dead é assaltado em Atlanta



steven-yeunSteven Yeun sobreviveu ao apocalipse zumbi (até agora), mas foi vítima de assaltantes em Atlanta.
Steven Yeun, o ator que interpreta Glenn na arrebatadora série da AMC, The Walking Dead, teve seu carro arrombado enquanto estava participando da convenção Walker Stalker durante o fim de semana.
Yeun postou uma foto da janela do carro quebrada junto com um comentário hilário no seu Instagram:
Apreciem as fotos que eu tirei lá (na convenção), de todas as pessoas lindas que eu amo. Mas eu espero que vocês também apreciem as fotos que tirei do meu quarto estupidamente bagunçado… você também levou o meu livro, seu ****. Eu já estava na metade… Agora vou ter que começar tudo de novo.
De acordo com o relatório da polícia de Atlanta, a ligação foi recebida às 21h no domingo. Yeun havia estacionado no quarteirão 500 da Avenida Edgewood. Ele contou a polícia que deixou uma mochila da Northface junto com um Macbook Air, uma câmera Ricoh, um iPod preto, e um livro de David e Golias com capa dura, já lido pela metade. Yeun disse que seu Macbook tinha a capacidade de rastreamento, mas estava sem sinal no domingo de noite.
Steven Yeun postou uma foto do seu carro com a janela quebrada pelos assaltantes em sua conta no Instagram.
Steven Yeun postou uma foto do seu carro com a janela quebrada pelos assaltantes em sua conta no Instagram.

Ah! Havia um caderno de anotações da Moleskine. E esse foi o lance de verdade, de acordo com aquela ainda hilária postagem:
Mas na verdade o que realmente me deixou irritado foi que você levou o meu caderno de anotações lotado de minhas idéias idiotas que eu nunca irei usar. Eu amo essas idéias idiotas. Elas eram um lembrete constante de que eu deveria fazer melhor. Agora eu tenho que reescrever todas aquelas idéia idiotas de novo.
E depois tem, “Vocês são uns ****, mas eu ainda amo vocês.” Embora a mensagem tenha sido destinada para os ladrões, ela poderia ter sido lançada para a cidade de Atlanta.
Parece que Steven Yeun (vulgo Glenn) tem a habilidade de sobreviver em um mundo cheio de errantes, mas não conseguiu pegar a regra básica de Atlanta: se você deixa mais de mil dólares em objetos no seu assento da frente, eles não estarão lá quando você voltar.
Aqui vai uma dica: Não foram os zumbis.

Ash and the Army of Darkness - Nova série em quadrinhos continua a história do filme de 1992


Foram divulgadas as primeiras páginas de Ash and the Army of Darkness #1, nova série de HQs sobre as aventuras do famoso caçador de demônios e cruz-credos maneta, Ash Williams. Produzida pela editora Dynamite, Ash and the Army of Darkness segue a história logo após o final do filme Army of Darkness (Uma noite alucinante 3, no Brasil) lançada em 1992.

Mas, com qual final?
Para quem já assistiu o filme em dvd, sabe que o filme Army of Darkness possui dois finais distintos.
No final da aventura, Ash tem em mãos uma poção do sono, que faz com que ele durma 100 anos para cada gota que ele toma. Determinado a voltar ao seu tempo, ele se tranca em uma caverna e toma tal poção.
Aí que entra a diferença dos finais. Em um deles, Ash toma a quantidade correta de gotas, dorme e volta para o seu tempo. No outro final, enquanto está tomando a poção, ele se distrai com algumas pedras caindo, e acorda num futuro apocalíptico.

Pois bem, a HQ aparentemente dará sequência ao final apocalíptico. Acompanhe a prévia com oito páginas da revista que deve ser lançada nos EUA no dia 30 de outubro.










Plants vs Zombies 2 já está disponível para Android

to quase zerando \o/

Finalmente o tão aguardado Plants Vs Zombies 2 já está disponível na Google Play Store. A EA Games acabou por disponibilizar o game apenas para usuários de Android.

Diferente do antecessor, o Plants vs. Zombies 2 será um jogo gratuito, no entanto, existe a possibilidade de se realizar compras de itens dentro o jogo, tal como moedas, plantas, melhorias e pacotes. O jogo teve avaliação média do Google Play de 4,5, o que é ótimo, e antes mesmo do seu lançamento já recebeu elogios de grandes portais especializados.
Plants vs. Zombies 2 é um download obrigatório.”  — CNET
“Melhor que bom. Melhor que excelente. Um clássico instantâneo.”  — NBCNews.com
“Uma experiência tão desafiadora e recompensadora quanto o original.”  — Kotaku

► Características e novidades:
Plants Vs Zombies 2 está completamente traduzido em português do Brasil.
• Use um simples toque na tela para fritar os zumbis com o Power Zap
• desafios cérebro provocando derrota que irá testar suas habilidades de zumbi-zapping
• Reúna chaves para jogar missões secundárias valiosas
• coletar moedas para comprar potente power-ups
• Ganhar estrelas para levá-lo a novos mundos
• Galinhas zumbi
• Vários novas plantas e Novos Zumbis
• Use Adubo para energizar suas plantas durante as batalhas
• Se divirta com eventos recorrentes.
► Requisitos:
• Android 2.3 (Gingerbread) ou superior
• ARMv7 1.0 Ghz ou superior
• 1 GB de RAM
• Os recursos podem variar de acordo com o dispositivo móvel

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

DIA Z PARTE 3


Ao abrir os olhos, uma forte luz penetrou sua íris, fazendo sua pupila se contrair. Jéssica imediatamente tornou a fecha-los, colocando a mão a frente do rosto. Sua mente estava confusa e seus olhos doíam com aquela claridade toda. Tornou a abri-los, desta vez devagar, tentando filtrar a luz por entre os dedos da mão. Onde eu estou? Ela sentia-se enjoada e sua visão estava turva; o mundo parecia girar e dançar a sua volta. Apoiando-se na parede, ela primeiramente ficou de joelhos, então foi levantando aos poucos, a medida que as coisas ao redor começavam a ficar paradas e nítidas. Assim que conseguiu observar com clareza o lugar, Jéssica foi tomada por pavor e desespero. Sua respiração acelerou e ela cambaleou para trás até esbarrar em uma cadeira. Haviam três corpos a sua frente, sendo um deles o de William; seus óculos estavam quebrados e embaçados e sangue escorria de sua boca, juntando-se a poça vermelha formada abaixo de sua cabeça. Meu Deus, Lucas! - pensou ela, e começou a procura-lo, mas ele não estava ali em lugar algum. Jéssica olhou para todos os lados e então deu-se conta de que seus dedos estavam fechados sobre alguma coisa. Assustou-se ao ver que segurava uma pistola, deixando-a cair no chão; então se abaixou e a pegou novamente. Lucas! - chamou, mas sua voz apenas ecoou pela fria sala, sem receber uma resposta. Ela virou-se para o local onde estava deitada. Havia uma folha no chão que parecia um bilhete. Ela esticou-se para pega-lo.



Quando terminou de ler aquelas palavras, tudo que conseguia fazer era chorar. Sentia tristeza e raiva, medo e ansiedade, tudo ao mesmo tempo. Logo ao lado ela viu uma seringa vazia. Jéssica levantou-se e foi lentamente caminhando até a porta de saída; ao abri-la, se deparou com aquele enorme corredor metálico novamente, e logo adiante estava Lucas, sentado de costas contra a parede. Ela gritou e colocou a mão sobre a boca quando o viu. Havia sangue e pedaços - sobre os quais ela não quis pensar - espirrados na parede atrás dele. Sua cabeça estava caída com a face voltada para o chão; os negros cabelos caindo-lhe sobre o rosto. Seus braços pendiam abertamente, e em sua mão esquerda repousava o revolver usado. Jéssica não conseguiu olhar por mais que alguns segundos, entrou na sala de novo e começou a chorar. Meu Deus, Lucas... - disse ela, encostada contra a porta. Aquilo não podia estar acontecendo. Ao seu lado, mais ao fundo, havia uma espécie de cortina branca, ela caminhou até lá e a puxou. Antes de sair, ainda vasculhou todos os freezers em busca de outra daquelas malditas seringas, mas realmente não haviam mais. Lucas sacrificou-se por ela; ele estava sempre a protegendo; ele estava sempre com ela; ele a amava. Novamente no corredor, ela se aproximou do amigo, deitou-o, e o cobriu com aquela cortina branca. A pele de seu rosto estava extremamente pálida, indicando que ele já se encontrava morto a horas. Jéssica segurou a mão de Lucas e acariciou seus cabelos, ajeitando-os para trás. Seus olhos encheram-se de lágrimas novamente e, após um suspiro ela disse: Eu queria que você pudesse ouvir isto... eu também o amo, muito mais do que jamais consegui admitir, e... sinto tanto que isto tenha acontecido. - balbuciou estas palavras, a medida que aproximava seus lábios dos lábios dele, e então beijou-o suavemente, deixando algumas lágrimas pingarem sobre sua face. Olhou-o uma ultima vez e em seguida cobriu-lhe o rosto.



Aquele lugar já começava a cheirar muito mal. Somente agora ela sentiu o cheiro putrefato de morte que vinha daqueles cadáveres caídos ao longo do corredor. Jéssica retirou o pente da arma para checar as balas e a engatilhou novamente. Pegou o revolver 38 de Lucas e guardou dentro da bolsa que havia encontrado perto do corpo de William. Já era hora de sair daquele lugar. Entrou no elevador e apertou o botão que levava ao térreo. Enquanto a porta fechava, não tirou os olhos um segundo sequer do corpo do amigo. Era a ultima vez que ela o veria.

Enquanto o elevador ia subindo, Jéssica sentiu-se tonta novamente e com náuseas; sua visão voltou a ficar turva e ela vomitou um líquido amarelo e sangrento. A porta do elevador abriu e ela saiu cambaleando para dentro da farmácia, até encontrar algo em que pudesse se apoiar. Lá fora a noite já dava seus últimos suspiros e um céu negro azulado começava a formar-se entre nuvens. Ela parou um instante e respirou fundo, não podia desistir, precisava continuar viva, por Lucas. Sentiu-se capaz de prosseguir, então saiu.

As ruas estavam vazias, com fatalidades e carros acidentados em toda parte, e havia algo mais além do vento zunindo; gemidos distantes pareciam emergir de dentro de prédios, e também por entre os mesmos. A mais ou menos três quadras de distância, um pequeno grupo de quatro zumbis apareceu caminhando sem direção, até que encontraram um cadáver e caíram sobre o mesmo. Jéssica aproveitou para passar despercebida, mas tão logo dobrou a esquina, seu coração quase pulou pela boca. Aquela rua estava infestada de zumbis que agitaram-se assim que a perceberam. Ela deu meia volta e correu; os zumbis atrás dela pareciam incansáveis e famintos. O quarteto anterior também levantou e, ao perceberem Jéssica, começaram a persegui-la. Ela corria com todas as forças que possuía, mas não era o suficiente e já começava a sentir-se exausta. Adiante, mais zumbis surgiram e ela agora via-se cercada. Suor escorria-lhe pelo rosto e ela não conseguia pensar em nada, tirando o fato de que iria morrer, até que encontrou uma possível saída. Disparou contra a cabeça de um zumbi já muito próximo, e correu. Pulou por cima de dois carros acidentados, chegando até uma rua aparentemente segura. Seus olhos procuravam desesperadamente por um abrigo; avistou um shopping e foi até ele, rezando para que la dentro fosse um pouco mais seguro que lá fora.

O que um dia havia sido um shopping center, agora era um cenário de guerra. Haviam muitos corpos mutilados pelo chão, que variavam entre zumbis e pessoas que não tiveram sorte. Jéssica viu um policial morto e foi até ele procurar por sua arma. Encontrou-a, estava sem balas, mas ela decidiu guarda-la na bolsa mesmo assim. As escadas rolantes estavam paradas, ela foi até elas e subiu. Lá em cima haviam mais corpos. A maioria das vidraças estavam quebradas, e mesas e cadeiras postas contra as portas. O cheiro era ainda pior do que la em baixo, mas ela continuou. Se quisesse sobreviver, precisaria encontrar suprimentos, coisas que a ajudassem, e isso incluía comida. Aquele era um dos maiores shoppings da cidade e haviam vários centros de alimentação espalhados por ele. Ela foi até o mais próximo que conhecia. Chegando lá, ouviu barulhos; abaixou-se e tentou observar de onde vinham. Alguns zumbis perambulavam por entre as mesas e cadeiras mais ao fundo; um deles possuía um ferro atravessado no peito. Jéssica pegou um copo grande que encontrou caído e o jogou com força contra a parede ao fundo. O som de vidro estilhaçado foi alto o suficiente e os zumbis começaram a movimentar-se naquela direção. Ainda abaixada, chegou até uma vitrine de comidas, fez a volta e colocou alimentos e garrafas de água dentro da bolsa. Aquela bolsa, aliás, já estava ficando muito pesada e desconfortável, ela não havia sido feita para carregar tanto fardo. Precisava ser substituída por algo maior, tipo uma mochila . Levantou-se com cuidado; os zumbis mantinham-se agitados ao fundo, então se apressou antes que pudesse ser vista, retornando ao corredor. Jéssica estava faminta e parou alguns instantes para comer alguma coisa e tomar água. Aquele corredor estava vazio e ela não ouvia barulho algum, então sentou-se em um banco. Após terminado o lanche, prosseguiu. Pouco tempo depois, ela avistou uma loja bazar, destas que vendem materiais escolares. Lá dentro, pegou a maior mochila que encontrou, passou tudo para dentro dela e colocou-a nas costas. Agora sim, seus ombros mal sentiam o que carregavam.

Em termos de bagunça, o centro de alimentação seguinte estava ainda pior que o anterior, mas pelo menos estava vazio. Jéssica já ia a procura de mais alimentos e suprimentos, quando ouviu gritos e tiros. Ela correu até a sacada e observou atônita uma cena angustiante: lá em baixo, dois policias tentavam fugir de um grupo de zumbis; um deles parecia ferido na perna e estava sendo arrastado pelo companheiro, deixando um rastro de sangue no piso branco a medida que prosseguiam. O policial que estava em pé escorou o amigo em qualquer coisa e passou sua arma para ele que mirou e começou a disparar, enquanto o outro tentava encontrar um lugar onde pudessem se abrigar. As portas estavam todas fechadas e barradas pelo lado de dentro. Quatro zumbis terminaram abatidos pelo policial ferido, mas haviam mais que se aproximavam dele. De repente a arma cessou fogo e ele gritou pedindo munição. Aqueles dois não iriam conseguir, Jéssica precisava fazer alguma coisa! Ela mirou e disparou, mas não era uma boa atiradora. Um de seus disparos atingiu a perna de um dos zumbis, e este caiu, mas começou a se arrastar. Mais tiros, porém, nenhum acerto. La em baixo, após vários chutes, o policial conseguiu arrombar a porta de uma loja e voltou pelo companheiro, pegou a arma, carregou-a e disparou nos mais próximos. Quando a situação parecia mais controlada, outro zumbi surgiu nas suas costas, saindo pela porta a qual ele havia recém arrombado. Jéssica gritou, alertando-o. O policial virou-se e eliminou a ameaça, então voltou a puxar o companheiro, que parecia pesado demais. As coisas estavam sob controle, mas logo eles se viram cercados novamente. O barulho dos disparos deve ter inquietado os zumbis próximos e os guiado até o local. O policial ferido parecia ter desmaiado e o outro estava exausto demais para arrasta-lo. Jéssica olhava ao redor, procurando um jeito de descer rapidamente, mas não havia como. Ela mirou e tentou acertar alguns dos zumbis, mas sua arma fez um click seco - ''Ta sem balas, que droga!'' De repente, outros dois homens apareceram correndo lá em baixo. Vieram gritando e disparando. Ao perceber que estavam ajudando, o policial soltou o amigo e se juntou a eles. Os zumbis espalharam-se e começaram a ser facilmente abatidos pelos três. Com o perigo eliminado, o ambiente havia ficado silencioso - com exceção da respiração pesada e nervosa de todos. La em baixo parecia tudo bem agora. Os homens viraram-se na direção da sacada onde estava Jéssica. Ela suava e suas mãos tremiam. O policial agradeceu-a e todos ficaram em silêncio alguns segundos, quando um dos homens gritou apontando para a sacada. Atrás de Jéssica dois zumbis se aproximavam e quando ela virou já estavam praticamente em cima. Não deu tempo de fugir, eles a seguraram e com um passo em falso, Jéssica acabou caindo da sacada, levando os zumbis consigo. Todos aproximaram-se imediatamente para ajuda-la, mataram os zumbis e a puxaram inconsciente de baixo deles.

Top 5 – Momentos Arriscados em The Walking Dead


Zumbis têm mastigado toneladas de pessoas em The Walking Dead, mas e quanto às vezes em que eles perderam? Aqui estão as melhores vezes em que alguém “quase” morreu.
Com as coisas ficando totalmente fora de controle, e zumbis vindo de todas as saídas, como no segundo episódio da quarta temporada de The Walking Dead – “Infected” – pensei que seria uma boa hora para olhar para trás para outros momentos assustadores de quase desastre relacionados aos mortos-vivos que Rick e os sobreviventes presenciaram. Não, não os momentos quando pessoas realmente foram mordidas ou rasgadas ao meio. Eles são chocantes, com certeza, mas a real tensão, momentos de aperto na bunda são quando os walkers rangem os dentes à polegadas do rosto de alguém.


Em “Infected”, toneladas de pessoas morrem no Bloco “D” depois que um zumbi inesperadamente invade seus portos-seguro, causando mais do que momentos de risco para Rick e Daryl, que tiveram que correr e limpar a área. Da mesma forma, Michonne, pela primeira vez, fez o que poderia ter sido um erro fatal por voltar para a prisão à cavalo para ajudar as pessoas que ela agora se importa. E com os zumbis se amontoando sobre ela há um momento, quando ela grita de dor, e nos perguntamos se ela realmente vai ser mordida! Acaba que ela apenas torceu seu tornozelo, mas a própria cena é exasperante. E não me faça começar pela cena da cerca…
Então, quais algumas das outras vezes em que nossos heróis quase se tornaram comida de walker? Esses momentos quando você está quase certo de que alguém não vai morrer porque tem um papel importante, e você ainda não consegue ver uma saída em volta da violenta morte agonizante nas mãos de zumbis sedentos por sangue e cérebros. Aqui estão os Top 5 desastres zumbi em The Walking Dead!

• 5. Episódio: S02E01 – What Lies Ahead (O que te Aguarda)

De volta para a estreia da 2ª Temporada, todos acharam perturbador quando o trailer de Dale quebrou logo quando uma “horda” de walkers vagavam pela autoestrada infernal. Todos correram para se esconder debaixo de veículos e se mantiveram quietos, mas isso não parou um inevitável ataque que aprisionou Andrea dentro do pequeno trailer com nenhuma arma – exceto por alguns pedaços – para lutar. Quanto mais o walker se aproximava, mais parecia que ela estava para se tornar uma trilha manchada de vísceras.
Até que Dale jogou para ela uma chave de fenda pela escotilha no topo do trailer, permitindo a ela a ferocidade de apunhalar o zumbi até… hmm… morrer? De qualquer forma, vamos todos esperar que teremos tanta sorte em ter um idoso chato no teto de nosso trailer quando chegar o apocalipse zumbi.
• 4. Episódio: S03E14 – “Prey” (Presa)

Esse cenário também envolve Andrea, mas ela não era a vitima pretendida. Na verdade, o cara que acaba aprisionado por walkers, dessa vez, era alguém que nós adoraríamos ver ser estripado. A maioria dos envolvidos em “Prey”, o Governador seguindo Andrea em uma fabrica no campo, tentando impedir que ela chegasse na prisão para avisar Rick sobre seus planos. Ela não conseguiu. Mas em um ponto pareceu que ela estava livre e absolvida após ter se livrado de uma horda de walkers, mais do que uma dúzia, por conta do Governador tê-la permitido por hora escapar.
Novamente, uma estranha situação porque o Governador era o vilão e nós sentimos falta de sua aparição, mas ainda se tornou uma cena cruel e tensa enquanto ele esvaziava sua arma contra uma horda próxima, finalmente correndo dentre as balas enquanto eles o encurralavam – esmagando seus crânios com a coronha de sua arma como último recurso.
E, honestamente, nós não vimos como ele saiu de tudo isso. Nós apenas assistimos Andrea decolar, ouvindo os disparos cessarem e então o som do Governador gritando. Eu prefiro pensar que o fantasma de Dale estava na escotilha do teto da fábrica e passou a ele uma chave de fenda espectral. “Mate-a”, Dale gemeu. “Mate-a por Dale.”
• 3. Episódio: S03E10 – “Home” (Lar)

 “Home” retrata um ataque na prisão de Rick, que é de longe mais excitante do que o último grande ataque à prisão de Rick no final da 3ª Temporada. Sim, o Governador pegou todos dormindo, atirando no edifício e kamikaze-ando um caminhão carregado de walkers através dos supostos portões de segurança. E se isso não fosse ruim o bastante, Rick estava fora fazendo sua rotina de “negócios” e “coisas” na floresta, perseguindo o fantasma de Lori e sentindo pena de si mesmo.
Uma droga pra ele, embora ele não tenha antecipado que seu retorno à prisão fosse tão cheio de zumbis e balas. Sim, retornando para dentro rapidamente se tornou um grande problema e logo foi Rick quem estava sem balas e usando sua arma como arma-branca.
Daryl foi ao resgate. Uma besta salvou o esconderijo de Rick no último segundo, evitando ele do que seria com certeza uma pós-vida lamentável fazendo “negócios” e “coisas” como um estúpido walker.
• 2. Episódio: S02E10 – “18 Miles Out” (18 Quilômetros)

 “18 Miles Out” retrata uma dupla dose de perigo morto-vivo enquanto Rick e Shane tomam a pior hora e lugar para tirar suas diferenças. Não custou muito para que começassem a brigar descuidadamente e desatarem uma brigada de walkers depois que Shane atirou um alicate contra uma janela e despertando um ninho adormecido. Após isso foi um momento de risco quando Rick se encontra com suas costas no chão e walkers se amontoando em cima dele.
Da mesma forma, Shane ficou preso em um ônibus escolar, com zumbis cobrindo cada polegada de fora e não tendo como manter as portas da frente fechadas tendo que segurá-las fisicamente. E sem ter como Rick retornar (com Randall), Shane teria encontrado seu final completo dois episódios antes exatamente que, hmmm, encontrasse seu final. Nas mãos de Rick.
• 1. Episódio: S03E07 – “When the Dead Come Knocking” (Quando os mortos vêm batendo à porta)

Uma das mais alarmantes e horríveis brigas com zumbis na série veio mais ou menos no meio da 3ª Temporada com “When the Dead Come Knocking” depois que Merle, procurando por alguma vingança “olho pela mão”, trancou Glenn em um quarto com um walker. Oh, e Glenn estava preso em uma cadeira. Indefeso.
Glenn, sempre engenhoso esmagou a cadeira em pedaços e usou um desses pedaços para impulsionar contra o crânio do zumbi. Uma das mortes mais impressionantes da série inteira.
Então, quais são alguns de seus momentos de risco favoritos em The Walking Dead? Deixe nos comentários abaixo.

George Romero diz que “The Walking Dead é apenas uma novela com zumbis ocasionais”


George A Romero, o pai dos zumbis e o homem que transformou os filmes de horror com “Night of the Living Dead” (A noite dos Mortos-Vivos), revelou que recusou a oportunidade de trabalhar no maciço programa de televisão dos Estados Unidos, The Walking Dead.

A série de sucesso fez história recentemente em seu retorno, quando atraiu a maior audiência da historia em uma série de TV a cabo e manteve a marcha dos zumbis, ficando atrás apenas de Guerra Mundial Z – o filme de maior bilheteria de Brad Pitt. Mas o mestre o horror não está convencido.
“Eles me pediram para fazer alguns episódios de The Walking Dead mas eu não quis fazer parte disso”, disse Romero ao The Big Inssue. “Basicamente, é apenas uma novela com zumbis ocasionalmente. Eu sempre usei o zumbi como um personagem para uma sátira ou crítica política e acho que falta isso no que está acontecendo agora.”
Filmes de zumbi mudaram consideravelmente desde que Romero deu a vida a “Madrugada dos Mortos”, em 1968, principalmente na propensão de perseguir suas vítimas com um ritmo. Zumbis seriam capazes de correr?
“Eu acho que Zack Snyder que começou com o remake de Madrugada dos Mortos – zumbis rápidos, mas os zumbis de Guerra Mundial Z, meu Deus, eles são como formigas! Mas aqui, em todos os anúncios, nunca foi chamado como um filme de zumbis”, disse Romero. Na verdade, o próprio homem nunca realmente chamou Madrugada dos Mortos de ‘zumbis’.
“Não, nunca fiz. Eu nunca pensei que eles eram zumbis”, explicou. “Pra mim, naquela época, os zumbis eram aqueles voodoos que receberam algum tipo de Blowfish Cocktail (coquetel feito de vodca, licor, pêssego, ovo e tabasco) e tornaram-se escravos”.
“E eles não estavam mortos, então eu pensei que estava fazendo uma coisa nova em ressuscitar os mortos. Não que os mortos não foram ressuscitado antes… Eles vão voltar para Jesus, não é?”
O que você acha da posição de Romero com relação a The Walking Dead? Essa não é a primeira entrevista que ele deixa claro o seu desinteresse em participar de qualquer coisa relacionada a franquia. Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

The Walking Dead - "Internment", quinto episódio da temporada


Confira abaixo sinopse, fotos promocionais e dois novos vídeos com cenas de "Internment", quinto episódio da quarta temporada de The Walking Dead.
Sinopse
Vários inimigos colocam pressão em Rick e no grupo. Isso pode, finalmente, ser o ponto de ruptura dos sobreviventes e da prisão?
Informações
Título em inglês: Internment
Título em português: Internamento
Temporada: Quarta Temporada
Roteirista: Channing Powell
Diretor: David Boyd
Elenco: Lauren Cohan (Maggie Greene), Norman Reedus (Daryl Dixon), Andrew Lincoln (Rick Grimes), Emily Kinney (Beth Greene), Steven Yeun (Glenn Rhee), Chandler Riggs (Carl Grimes), Danai Gurira (Michonne), Scott Wilson (Hershel Greene), Melissa McBride (Carol Peletier), Sonequa Martin-Green (Sasha), Chad L. Coleman (Tyreese) e Lawrence Gilliard Jr. (Bob Stookey).
Duração: 45 minutos
Estreia Internacional: 10 de Novembro de 2013
Estreia na FOX Brasil: 12 de Novembro de 2013
                 Fotos Promocionais


HQ de The Walking Dead será quinzenal no Brasil – e mais cara

the-walking-dead-hq-14

Boas notícias para os fãs dos quadrinhos de The Walking Dead que acompanham os lançamentos oficiais no Brasil (ou tentam). A HQM, editora responsável pela publicação, anunciou recentemente em seu Facebook que lançará duas edições por mês da obra. Não será um lançamento “quinzenal”, pois ambas as edições serão disponibilizadas no mesmo dia, mas o resultado é equivalente. A novidade já começou em outubro, com o lançamento das edições 13 e 14 em bancas e livrarias. Para novembro está previsto o lançamento das edições 15 16.
Outra novidade, desta vez não muito boa, é que as edições custarão mais caro. O preço anterior, que era R$3,90, passará a ser de R$4,90. É um aumento já esperado devido ao descontrole inflacionário que o país está entrando. Nos EUA cada edição sai a U$2,99.
Confira o comunicado oficial da editora:
A boa notícia foi devido a pedidos de todos. Lançaremos a partir de agora, duas revistas por mês. Podem considerar a revista, a partir de agora, como quinzenal. No entanto, as duas revistas sairão juntas. Nos meses seguintes, a mesma coisa. Dessa forma, em questão de três meses, fecharemos um arco de histórias, sem ter que esperar seis meses para conclusão de cada arco. Na edição #13, por exemplo, começa o arco Segurança Atrás das Grades.
A má notícia é que, a partir desta edição, a revista terá reajuste de 1 real no preço de capa. O motivo maior foi o aumento do desconto comercial efetuado pela distribuidora sobre as edições vendidas. Quando a revista foi lançada, o desconto por edição vendida era de 52% sobre o preço de capa. A partir de Abril, o desconto passou a ser de 53,84% sobre o preço de capa. E a partir de Julho, o desconto passou a ser de 56,33% sobre os exemplares vendidos.
Desde abril, a editora vinha tentando absorver estes custos, aliados à alta do dólar (os royaties são pagos em moeda americana) e ao reajuste de insumos gráficos, impedindo a editora de segurar o preço da revista por mais tempo. Mesmo assim, fazendo as contas, conseguimos deixar que seis edições sejam ainda mais baratas que o preço atual dos encadernados (que contêm seis histórias). Contamos (muito) com a compreensão de todos.
Capas das edições 15 e 16 de The Walking Dead pela editora HQM

Capas das edições 15 e 16 de The Walking Dead pela editora HQM

Data de lançamento de todas as edições

Informações retiradas do Facebook exclusivo de The Walking Dead da editora.
The Walking Dead #1 – Lançamento: Outubro de 2012
The Walking Dead #2 – Lançamento: Novembro de 2012
The Walking Dead #3 – Lançamento: Dezembro de 2012
The Walking Dead #4 – Lançamento: Janeiro de 2013
The Walking Dead #5 – Lançamento: Fevereiro de 2013
The Walking Dead #6 – Lançamento: Março de 2013
The Walking Dead #7 – Lançamento: Abril de 2013
The Walking Dead #8 – Lançamento: Maio de 2013
The Walking Dead #9 – Lançamento: Junho de 2013
The Walking Dead #10 – Lançamento: Julho de 2013
The Walking Dead #11 – Lançamento: Agosto de 2013
The Walking Dead #12 – Lançamento: Setembro de 2013
The Walking Dead #13 – Lançamento: Outubro de 2013
The Walking Dead #14 – Lançamento: Outubro de 2013
The Walking Dead #15 – Lançamento: Novembro de 2013
The Walking Dead #16 – Lançamento: Novembro de 2013

The Walking Dead é distribuído no Brasil pela editora HQM em dois formatos: Os volumes fechados, sob o título “Os Mortos-Vivos”, disponíveis em livrarias por cerca de R$35,00 cada, e as edições individuais, sob o título original “The Walking Dead”, disponíveis em bancas de jornais.

domingo, 3 de novembro de 2013

Imagens e informações da estátua da Michonne da Gentle Giant


Durante a San Diego Comic-Con 2013, a Gentle Giant exibiu algumas de suas estátuas de 18 polegadas da série televisiva The Walking Dead, incluindo Michonne, Daryl e Merle. A estátua da Michonne foi oficialmente revelada e está disponível para pré-venda.
“Algumas pessoas ‘murcham’ quando estão sobre pressão. Outras, prosperam. Michonne, a guerreira armada de katana, faz parte do último grupo. Inflexível diante da face do perigo, vivo ou morto, Michonne provou, muitas vezes, ser um membro incrivelmente valioso para o grupo desorganizado de sobreviventes de Rick.
A Gentle Giant Ltd. orgulha-se de continuar sua linha de The Walking Dead com a dramática estátua da Michonne! Esculpida digitalmente por nossos mestres artesões, nenhum outro item colecionável de The Walking Dead jamais teve esse nível de precisão. Junto com uma capa de tecido verdadeiro e espada com lâmina de metal, cada edição limitada de 18 polegadas foi pintada à mão e vem individualmente numerada com seu respectivo certificado de autenticidade”.

Informações do Produto
• Preço regular: $399.00
• Escala: 18 polegadas
• Dimensões: Altura: 17.5 polegadas; Largura: 13 polegadas; Comprimento: 10 polegadas
• Data de lançamento: 3º trimestre de 2014
• Tamanho da edição: A ser determinado
• Disponibilidade: Pré-venda
Para mais informações ou para pré-venda da estátua, visite o site Gentle Giant. 













A Gentle Giant esteve trabalhando com colecionáveis de The Walking Dead recentemente, anunciando um número de mini-bustos e réplicas precisas. Acompanhe nossa cobertura recente nos seguintes links:

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Produtos zumbis para o seu Halloween

Neste dia o mais importante é se divertir e celebrar o melhor que o horror tem a oferecer. E o que mais está em alta este ano? Zumbis, é claro. Protagonistas de filmes e HQs há décadas, os mortos vivos viraram mania e agora podem entrar na sua casa em forma de produtos inusitados e muito criativos.
Confira algumas ideias para fazer um pouco do Halloween durar o ano todo na sua casa. Veja a seguir se você quer ser um sobrevivente.


1 - Vai uma bebida aí?
Todo mundo sabe que a sobrevivência ao apocalipse envolve muito mais que armas, mas também suprimentos. E esse abridor de garrafas zumbi consegue oferecer uma bebida bem geladinha e livre de vírus, para aproveitar o fim do mundo de forma refrescante. Ele está à venda no Amazon.com.



2 - Zumbi rastejante
Não marque bobeira fazendo barulho e atraindo mais mortos vivos. Você só precisa de um zumbi na sua porta, e ele é o que vai mantê-lo bem seguro do vento forte. Ele segura a porta e ainda é assustadoramente hype. Pode ser comprado aqui.

3 - Plante o seu zumbi
No fim dos tempos quem vai ter tempo de regar as flores? Possuir pedaços de zumbi pela casa talvez seja a chave para sobreviver, afinal você já ouviu falar em camuflagem?! Brincadeiras à parte, essa é uma ótima decoração para o Halloween e pode até ser feita em casa.

4 - Hora do lanche zumbi
Bebês fazem bagunça na hora da comer. Zumbis fazem bagunça na hora de comer. Os dois são a combinação perfeita de apetite quase infinito, então nada melhor do que deixar o seu pequeno comer à vontade sem se sujar. Ele é comercializado pelo Think Geek.

5 - Gelatina de miolos
Porque sempre tem mais um espaço no estômago para... Cééérebro! Você pode atuar as cenas da Noite dos Mortos Vivos com um cérebro de gelatina ou surpreender seus familiares com essa sobremesa inusitada. Esse molde também inclui recipientes para fazer minhocas, tão realista quando o Oscar. Ele pode ser comprado aqui.

6 - Cabeça de cookies
Enquanto eles querem um pedaço seu, você quer um cookie. Além de biscoitos ou bolachas, você também pode colocar os doces do Halloween nessa cabeça zumbi, vai ser um sucesso com as crianças. E se você gosta de cozinhar, vai gostar das formas de cookies zumbi também. Então, não vá passar fome no fim dos dias.

7 - Mouse Pad para sobreviventes
Esse mouse pad é o objeto que mostra aos seus colegas de trabalho que, em caso de apocalipse zumbi, você está pronta para agir (ou para dançar “Trhiller” do Michael Jackson).

8 - Vista a camisa (ou o vestido) da causa zumbi
Esse é para a mulher que se joga de cabeça nas festas de Halloween, mas nunca deixa o estilo de lado. Com estampas lindas e um corte lisonjeiro, esse vestido ainda vai deixar muitos homens como zumbis.

9 - Família unida até no apocalipse
Eles são amados e odiados. Mas querendo ou não, os adesivos de família dos carros estão presentes no dia a dia. E que tal deixar a hora do rush mais interessante? Transforme sua família em zumbi. Nessa brincadeira tem espaço até para os seus pets. Esse você encontra no Amazon.

10 - Jardim sangrento
Substitua o seu jardim tranquilo por um cenário de filme de terror. Isso é o que está acontecendo em muitos jardins dos fãs de zumbis. No lugar daqueles gnomos sorridentes que a sua avó te deu, coloque os gnomos zumbis. Existem vários tipos, que vão dos mais realistas aos “fofinhos”.