quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Perguntas & Respostas – David Alpert, Produtor Executivo responde sobre 4ª Temporada


Alpert e KirkmanA face do produtor executivo da  AMC foi revelada no seu último “Despachos do set”, nesse P&R vamos ler mais sobre as mudanças na prisão, turistas visitando Senoia e a dificuldade de matar personagens e suas fotos no walker-mural.
via AMC - P: Se a terceira temporada foi sobre problemas humanos, a quarta temporada você diria que será sobre o que?
Alpert:  O que nós realmente teremos aqui na 4ª Temporada será uma corda bamba que a civilização reconstruiu… A noção de que há civilização e a noção de que há a possibilidade de existir leis e senso de estado normal.  Eu acho que estamos prestes a ver a evolução nos walkers – há um monte de novos deles – e nós veremos a evolução dos problemas humanos-e-não-humanos. Bombeando na possibilidade de civilização, eles farão pessoas ainda mais desesperadas e sedentas por coisas as quais anteriormente eram impensáveis.
 Possível walker da 4ª Temporada
P: Como está indo a procura pelos novos locais? O que você pode nos falar sobre os novos sets?
Alpert: Há algumas chances reais na própria prisão, basta notar no final da terceira temporada e no trailer de introdução da quarta temporada, a prisão aparenta estar completamente diferente… Nós, também, procuramos pelos bosques e algumas extensões das rodovias para achar alguns ângulos bem interessantes para exibir algumas sequências únicas de ação que eu não posso falar nada sobre.

P: Agora que a série está na 4ª temporada, a produção está atraindo mais atenção do povo de Georgia?
Alpert: Isso é interessante. Kirkman e eu fomos até Senoia para comprar comida e ali havia, provavelmente, 15 ou 20 pessoas andando ao redor das ruas e cada uma delas era, claramente, um turista fã de TWD… Eu não tinha visto aquilo antes. Há um mercado com o nome Woodbury na rua principal. Há a prefeitura de Woodbury e ali tinham todas as coisas que nós filmamos no ano passado e outras mais atuais. Eu vi todas aquelas pessoas andando pra cima e pra baixo tirando fotos de tudo, posando e usando o chapéu de Xerife, fazendo a coisa toda.

P: Olhando tudo o que já foi produzido nas temporadas passadas, do que você mais tem orgulho?
Alpert: Houve toda uma gama de momentos que eu, de verdade, me orgulho muito… Episódio 207 quando Sophia surge como walker. Só de pensar nisso tenho arrepios. Sem piadas… Foi um momento puro do gênero, mas se alguém não teve uma pontada no coração pela Carol ao ver a filha como zombie e ver Rick tendo de matá-la, você não é humano, certo? E no episódio 304 quando Carl teve de atirar na própria mãe depois de fazer o parto para das vida à Judith e outro perfeito exemplo, ali foi absolutamente emocional, momento intensivamente envolvente. O puro elemento é usado para aumentar a intensidade da emoção da cena.

P: Qual foi o personagem mais difícil para você, pessoalmente, perder na série?
Alpert: Uma coisa fantástica nessa série é que todos os personagens estão, literalmente, na mesa… Não temos um intocável… Uma das coisas mais difíceis foi matar o Shane. Nos quadrinhos isso aconteceu muito, muito antes e Robert disse que queria dar ao personagem um pouco mais de espaço para respirar. Então tentamos imaginar como seria o lugar ideal para matar Shane e isso foi realmente difícil.. Na sala de gritos que temos aqui há uma parede que diz “Nosso grato morto” e tem fotos de todos os personagens que nós matamos ao longo das temporadas. É um tanto quanto insano: Um, é uma coisa física, “tocável”; e dois, nós matamos muita gente nessa série. [Risos] É difícil de dizer qual deles foi mais… difíci